Apreciada pelo efeito estimulante, a cafeína pode exacerbar os sintomas da bexiga hiperativa. Saiba se tem mesmo de abdicar do café e quais as alternativas.

A cafeína irrita a bexiga. Explicamos porquê (e damos alternativas)

Saboroso e com um aroma intenso, o café é uma das bebidas mais consumidas no mundo e uma das que apresenta maiores teores de cafeína. Segundo a Associação Portuguesa de Nutrição, o seu consumo “tem sido associado a um conjunto de potenciais benefícios para a saúde, entre os quais se pode destacar a redução da sensação de fadiga, o aumento dos níveis de alerta e atenção e a melhoria do raciocínio e memória. Pode ainda ajudar a diminuir o risco de doença de Alzheimer e Parkinson”.

Bom só nas doses certas

Os benefícios do consumo de café devem-se, em grande medida, à presença de cafeína, uma substância com efeito estimulante sobre o sistema nervoso. Em termos técnicos, isto ocorre porque a cafeína tem uma ação antagonista da adenosina, substância que modela o estado de vigília e do sono. Ao bloquear os recetores da adenosina, a cafeína consegue manter o estado de alerta e excitação do organismo. No entanto, em doses elevadas os benefícios passam a malefícios. O consumo excessivo de cafeína (mais de 400 mg ou 5 cafés por dia) pode causar insónias, ansiedade e taquicardia. Quando ingerida após as refeições também pode comprometer a absorção de cálcio e ferro.

Outros alimentos ricos em cafeína

O café não é o único alimento com cafeína. O chocolate, o chá preto ou verde, alguns refrigerantes e bebidas energéticas têm doses significativas. Veja sempre os rótulos.

Teor de cafeína de alguns alimentos:

Produto alimentarTeor de cafeína (mg)
Café expresso normal74 mg
Café expresso cheio88 mg
Chá preto (chávena de 220 ml)45 a 60 mg
Chá verde (chávena de 220 ml)25 a 40 mg
Coca-cola (1 lata de 330 ml)30 a 35 mg
Bebida energética (250 ml)80 mg
Chocolate negro (100 g)64 mg
Fontes: International Coffee Organization e Associação Portuguesa dos Nutricionistas

Cafeína e bexiga hiperativa

Sabe-se que certos alimentos e bebidas podem promover a irritabilidade da bexiga e, em algumas pessoas, exacerbar os sintomas associados à síndrome da bexiga hiperativa. A cafeína, em particular, tem um efeito diurético e está associada ao aumento da frequência urinária. Para não exceder a dose diária, lembre-se de contabilizar, além do café, o consumo de chá preto e verde, chocolate e refrigerantes com esta substância.

Alternativas ao café

A moderação e o equilíbrio são a chave para um estilo de vida saudável e este é essencial no tratamento dos sintomas da síndrome de bexiga hiperativa. Considere estas opções:

  • Substitua o café por descafeinado ou opte por uma mistura solúvel sem café – com cereais de cevada, aveia, chicória ou centeio.
  • Troque o chá preto ou verde por infusões de plantas sem cafeína ou teína, como a camomila, a cidreira ou a hortelã.
  • Dê sempre preferência à água em detrimento de outros sumos e refrigerantes.


Tome nota

Conheça mais alimentos a evitar se tem bexiga hiperativa.