É responsável pela produção e eliminação da urina e por filtrar as impurezas do sangue. Mostramos como funciona.

Como funciona o sistema urinário

Rins, ureteres, bexiga e uretra. Estes são os elementos que constituem o sistema urinário, envolvidos no processo de produção, armazenamento e transporte da urina. E é fundamental que trabalhem em conjunto e pela ordem correta, já que é através da urina que são expelidos do organismo os resíduos dos processos metabólicos. A produção de urina é, pois, essencial para a saúde, desempenhando um papel purificador.

Rins e ureteres: filtro e transporte

Com o formato de um feijão e do tamanho de um punho fechado, os rins são os órgãos principais do sistema urinário. Localizam-se logo abaixo das costelas, um de cada lado da coluna vertebral e são determinantes para o funcionamento do organismo. Filtram as toxinas e demais resíduos existentes no sangue, impedindo que circulem e se acumulem. Todos os dias passam por eles 110 a 130 litros de sangue, que vão originar um a dois litros de urina. De cada um dos rins sai um fino canal cuja parede é sobretudo constituída por músculo – são os ureteres, que desembocam na bexiga, transportando a urina.

Bexiga e uretra: reservatório e saída

Localizada entre os ossos pélvicos, a bexiga é um reservatório de urina que funciona como uma espécie de balão. Apresenta-se relaxada quando está vazia e expande-se à medida que se enche de urina. E, ao contrário do que acontece com os rins, o seu esvaziamento é voluntário – depende da vontade da pessoa, pelo menos num quadro de saúde. Este reservatório do sistema urinário tem capacidade para guardar o equivalente a dois copos de urina. Quando atinge o limite, os seus músculos enviam sinais ao cérebro, indicando que está na altura de expelir a urina. Para isso, a urina é encaminhada para a uretra, canal que se localiza na base da bexiga, ligando-a à vagina ou ao pénis.

Para saber mais sobre o funcionamento da bexiga, veja o vídeo.

Cérebro: mensageiro do sistema urinário

Os músculos da uretra, em conjunto com os do pavimento pélvico, desempenham um papel importante na retenção da urina, impedindo que se escape involuntariamente. Para urinar, o cérebro sinaliza à bexiga para se contrair e, ao mesmo tempo, ordena aos esfíncteres (músculos do pavimento pélvico) que relaxem. Resumindo: quando todas as mensagens cerebrais são enviadas pela ordem certa, acontece o fenómeno fisiológico que tem a designação de micção. 

Quanta urina é saudável?

Não há propriamente um volume de urina padrão, há muitos fatores que influenciam a quantidade produzida pelo organismo. Entre eles, a alimentação, incluindo a ingestão de líquidos, e o volume de fluidos eliminados através da transpiração e respiração. Algumas doenças e medicamentos também poder interferir. E, claro, a idade: uma criança produz menos urina do que um adulto. A quantidade e a aparência da urina podem ser sintomas de problemas de saúde, nomeadamente de infeções no trato urinário, mas não só. Daí que a análise à urina seja um exame complementar de diagnóstico comum e integre os exames de rotina.

110 a 130 litros

Esta é a quantidade de sangue que passa diariamente pelos rins, dando origem a 1 a 2 L de urina.


Sabia que…

Os rins mantêm estáveis os níveis de eletrólitos, nomeadamente de potássio e fosfato. Também produzem hormonas envolvidas na regulação da pressão arterial e intervêm no processo de fabrico das células vermelhas do sangue.