A prisão de ventre pode aumentar a pressão na bexiga, interferindo com o seu normal funcionamento e podendo dificultar o seu enchimento e/ou esvaziamento completo.

Prisão de ventre: alimentos e hábitos que ajudam a preveni-la

Desconforto, dores abdominais, barriga inchada e um número reduzido de idas à casa de banho. A prisão de ventre ocorre quando os movimentos do intestino se tornam mais lentos do que o normal, fazendo com que as fezes permaneçam demasiado tempo no cólon. Quanto mais tempo se acumulam, maior é a quantidade de líquido absorvido pelo organismo e a dificuldade de expulsão. Em alguns casos, a acumulação de fezes provoca a distensão do intestino, que incha e aumenta de volume, tornando o processo de evacuação ainda mais lento. Apesar de ser variável de pessoa para pessoa, não se deve estar mais de três dias sem ir à casa de banho. A acumulação de fezes evidencia um funcionamento intestinal lento, que poderá provocar dor e desconforto.

A prisão de ventre e a bexiga

A obstipação tem também impacto noutras funções do organismo, explica o website do departamento de urologia da Universidade da Califórnia, nos Estados Unidos. Existe uma relação próxima entre os músculos e os nervos que controlam as funções da bexiga e os que controlam os movimentos do intestino. Por isso, a existência de grande quantidade de fezes no intestino acaba por pressionar a bexiga, prejudicando o seu normal funcionamento. A bexiga pode contrair-se quando não é suposto e deixar de encher totalmente ou de esvaziar completamente. Como consequência, esta condição pode contribuir para os sintomas associados à bexiga hiperativa, como aumento da frequência ou urgência urinária.

Prevenir a prisão de ventre  

Para evitar episódios de obstipação, siga os conselhos dos especialistas:

  •  Opte por alimentos com elevado teor de fibra

A fibra reduz a obstipação e ajuda a regular o trânsito intestinal, contribuindo para manter as fezes em movimento ao longo do intestino. Aveia, cevada, leguminosas, fruta – de preferência, com casca –, cereais integrais e vegetais de folha verde são alguns dos alimentos mais ricos em fibra. De acordo com a Direção-Geral da Saúde, os adultos devem ingerir, pelo menos, 25 gramas de fibra por dia. Esta dose é equivalente, por exemplo, a consumir no mesmo dia uma maçã com casca, meia chávena de framboesas, meia chávena de feijão, uma porção de brócolos cozidos (uma chávena), um pão integral pequeno e uma batata-doce média. Se a sua dieta tem sido pobre em fibra, faça a transição lentamente para que o seu corpo se habitue.

  • Evite alimentos processados

Os alimentos processados dificultam o trânsito intestinal porque atrasam o processo de digestão. É o caso de batatas fritas, cereais refinados, produtos de charcutaria, queijos e refeições pré-feitas, como pizzas. Além de terem um baixo teor de fibra, possuem doses elevadas de gordura e sal, o que as torna opções pouco saudáveis.

  • Mantenha-se hidratado

A água é fundamental no processo digestivo: ajuda os alimentos a moverem-se e torna os intestinos mais flexíveis. Por isso, a desidratação é uma das causas mais comuns da prisão de ventre crónica. Para a evitar, beba 1,5 l de água por dia e ingira outros líquidos, como chá ou sumos de fruta e vegetais, para ajudar a acelerar o trânsito intestinal. A sopa é também uma excelente forma de hidratação, além de ser uma alternativa com elevado teor de fibra.

  • Pratique exercício físico com regularidade

A prática desportiva não é apenas um meio para controlar o peso e estar em forma. Quando praticamos exercício físico, estamos também a prevenir a prisão de ventre. Os movimentos associados, por exemplo, a uma caminhada ou a uma corrida, aceleram o trânsito intestinal, contrariando a acumulação de fezes.


1,5 l

Quantidade de água que deve beber diariamente

25 gramas

Quantidade de fibra que os adultos devem ingerir diariamente

 

Se sofre de bexiga hiperativa, leia mais sobre os cuidados alimentares que deve adotar