Embora nem sempre seja sinal de alarme, a presença de sangue na urina pode ser indicadora de várias doenças e, como tal, não deve ser ignorada.

Sangue na urina: o que pode ser e quando ir ao médico

O aparecimento de sangue na urina, clinicamente chamado de hematúria, é um dos sinais que mais assusta as pessoas. Enquanto nalguns casos não é sinónimo de perigo, noutros exige atenção médica imediata, implicando aconselhamento com um urologista para excluir a presença de tumores malignos.

A hematúria pode ser classificada como macroscópica, quando o sangue na urina é detetável a olho nu, ou microscópica, quando só é detetada através de uma análise à urina. Para o urologista Ricardo Pereira e Silva, esta distinção acaba por não ser muito relevante na prática porque “não nos diz se a causa é benigna ou não. E aquilo que se recomenda para a hematúria macroscópica pode ser mais ou menos aplicado para a hematúria microscópica”.

Aparência da urina

Nas pessoas com hematúria microscópica a urina pode ter um aspeto normal, não registando aparentes alterações. Contudo, quando o sangue é visível, esta assume uma coloração cor de rosa, vermelha ou castanha, conforme a quantidade de sangue, o tempo de presença na urina e o seu grau de acidez. Por vezes, podem ainda ser encontrados coágulos na urina.

Mas atenção, nem sempre a cor avermelhada da urina corresponde à presença de sangue. A ingestão de alimentos com pigmento vermelho, como beterraba, framboesas e cenouras, ou de produtos com grandes quantidades de corantes alimentares pode deixar a urina aparentemente rosa ou avermelhada. O mesmo acontece com certos medicamentos.

Nestes casos, as alterações na cor não constituem motivo para alarme, desaparecendo pouco tempo depois. Nas mulheres, durante a menstruação, podem também aparecer pequenas quantidades de sangue menstrual na urina, o que é considerado normal.

Sangue na urina, o que pode significar?

A hematúria pode ser causada por problemas em qualquer local do trato urinário, desde os rins até os ureteres, bexiga ou uretra. Alguns deles são graves, mas muitos outros não. Os mais comuns consistem em infeções do aparelho urinário, cálculos renais (pedras nos rins), prostatite (infeção da próstata) e hiperplasia benigna da próstata.

No entanto, este problema pode também ser sinal de patologias mais graves, sendo “as doenças oncológicas, como o cancro da bexiga, do rim ou da próstata, algumas das mais preocupantes”, revela o urologista. De acordo com a Urology Care Foundation duas ou três em cada 100 pessoas com hematúria microscópica têm cancro.

A estas juntam-se, entre outras doenças, as glomerulonefrites — caracterizadas pela inflamação das estruturas de filtração dos rins —, quistos nos rins e distúrbios de coagulação, como a hemofilia.

Como o médico explica, o sangue na urina pode ou não surgir em simultâneo com outros sintomas, que vão ajudar a determinar a causa subjacente. Entre eles encontram-se:

  • Dor abdominal
  • Diminuição do jato urinário
  • Necessidade urgente de urinar
  • Dor durante a micção (disúria)
  • Micções frequentes
  • Em alguns casos pode surgir ainda acompanhada de febre, náuseas e perda de peso sem razão conhecida.

Consultar o médico sempre

“A presença de sangue na urina não é sempre uma situação de gravidade. Pode acontecer em situações benignas e autolimitadas, como uma infeção urinária ou uma cólica renal”, afirma o urologista. Porém, e por poder estar associada a inúmeras doenças, a hematúria não deve ser ignorada e implica sempre a consulta de um médico. “Não conseguimos apontar uma situação em que seja 100% seguro olhar para sangue na urina e não procurar ajuda médica. Por isso, à mínima dúvida ou olhando e vendo sangue na urina, a pessoa deve consultar o médico de família e, se for necessário, o urologista”, alerta Ricardo Pereira e Silva.

Uma vez que este sintoma pode ter várias causas, o diagnóstico deve incluir o levantamento da história médica completa, a realização de exame físico e de análises à urina e ao sangue. Pode também ser necessário realizar exames complementares como tomografia computorizada, ecografia do trato urinário, cistoscopia, biópsia, entre outros.

Na avaliação clínica, importa também determinar as características da hematúria e perceber se esta é inicial, total ou terminal:

  • Hematúria inicial

Designa-se assim quando a presença de sangue só acontece no início da micção, seguindo-se uma urina clara.

  • Hematúria final

Quando o sangue surge apenas no final do jato urinário, fala-se em hematúria terminal.

  • Hematúria total

Quando o sangue surge ao longo de toda a micção, na maioria das vezes de forma indolor. Segundo Ricardo Pereira e Silva, esta situação é a mais preocupante “porque significa que existe urina parada com sangue dentro da bexiga e aumenta a probabilidade de haver uma causa subjacente de caráter tumoral”.

Várias causas, diversos tratamentos

Dado que o sangue na urina é um sinal de doença, não uma doença em si, não há um tratamento específico. Este irá incidir na causa subjacente e poderá variar muito. Por exemplo, pode ser tratado com antibióticos em caso de infeção ou com medicamentos para reduzir o aumento da próstata. Mas se o cancro da bexiga, próstata ou rins for o responsável pela hematúria, o tratamento pode passar pela cirurgia. Em contrapartida, em alguns casos, não é necessária qualquer terapêutica.